domingo, 23 de março de 2014

O que eu estou consumindo?

Eu sempre falo, que quando nós, leigos em um determinado assunto, estamos nos divertindo com o tal assunto, sempre chega um profissional da área pra azedar o doce!
Pensa naquela foto bacana do casamento do seu primo que você postou no Instagram com aquele filtro ultra legal  que  ficou show....com certeza naquele momento do clique, o fotógrafo do casamento deu aquela olhada torta pra você com o iphone na mão, todo contente. Imagina quando você está se divertindo nas páginas mega sexys de Cinquenta Tons de Cinza, ou suspirando com o charme da saga Crepúsculo e vem um professor de literatura e diz: Você está lendo essa porcaria? Acho que nem vale contar passeios no Mc Donalds com recomendações de nutricionista. O ponto é, que pra cada coisa que um leigo acha divertido fazer, sempre tem um especializado chato pra caramba.

Pois é, eu sou a chata. Eu sou a profissional da área da música que torce o nariz pra diversos "melôs" comerciais que pintam na telinha, ou ficam nas paradas das rádios. Eu sou aquela que, se vai na baladinha, torce o nariz por conta da música que eu considero ruim. Sou eu quem pergunta: Você está ouvindo essa porcaria?

Há um tempo atrás eu disse que se alface fosse bom, teríamos vontade de comer alface, e não chocolate.
Depois de um tempo, resolvi mudar de vida, mudar meus hábitos e, realmente, comer alface ( que aqui representa uma gama de saladas e comidas saudáveis) no momento do consumo não causa o mesmo prazer que um doce, um fast food, ou alguma outra junk food da moda. Porém, a longo prazo, eu percebi que os efeitos pós consumo, são maravilhosos! Eu durmo melhor, a pele está saudável, perdi peso, e muitos outros benefícios que me fazem mais feliz, e por mais tempo. As "bobeiras" que a gente consome, causam o prazer imediato, mas o desconforto pós consumo!

As vezes eu acho que muita gente considera a boa arte (visual, cênica, música e literatura) como a alface da dieta, e tem uma resistência enorme em consumi-la.  Ouvir o primeiro hit do radio, ou dançar com aquela música de batida contagiante do programa de TV pode ser legal na hora e pode causar o prazer momentâneo. Assim como o big mac! Mas eu pergunto: O que é que eu estou colocando pra dentro do meu corpo quando como apenas o fast food? O que é que estou colocando dentro da minha cabeça quando consumo apenas a arte de fácil veiculação? Será que isso que estou consumindo constantemente está trazendo algum benefício além do prazer momentâneo?

A boa arte é como a alimentação balanceada do nosso dia-a-dia. Depois que você aprende os benefícios e entende tudo o que ela faz por você, o seu paladar muda, você começa a acha-la deliciosa, seu corpo fica mais saudável, você fica mais bonito, tudo muda! E pra melhor! E o fast food deixa de ser tão interessante! é lógico que vez em outra, por pura diversão, a gente consome uma porcaria ou outra, mas só pra relaxar, porque quando retomamos o hábito de vida culturalmente saudável, nos sentimos completos!

Mas e o profissional da área? Onde fica esse chato?
Na dieta, uma nutricionista nos orienta ao consumo dos melhores alimentos pro nosso corpo e nos ensina o prazer da vida saudável, mesmo que vez em outra a gente consuma aquele pecadinho de doce que a gente gosta. A foto rapidinha postada no instagram, é bem legal e divertida, mas ver os momentos mais importantes da nossa vida pelos olhos de um fotógrafo, que sabe capturar a melhor imagem de cada momento é mágico. E na literatura então? Quando o professor ou um escritor nos abre os olhos para o universo infinito das palavras e sentidos, um conhecimento que nos abre caminhos em todas as áreas. Na música sou suspeita para falar, mas quando a conhecemos melhor e escutamos a diversa variedade de estilos e sons que ela tem, através dos bons músicos e compositores,  as sensações e emoções que ela nos causa vão muito além do desejo frenético de mover os quadris, que também é legal, mas ela nos leva a viagens interiores que nem imaginamos poder existir dentre de nós. Mas pra alcançarmos todos esses benefícios da vida culturalmente saudável, temos que antes de qualquer coisa, consumir mais cultura!

photo by: devianart