terça-feira, 21 de setembro de 2010

Preconceito?

Eu não ia me manifestar sobre assunto, mas algumas mensagens de twitter e blogs acabaram me aguçando a vontade de falar. Passei a madrugada ouvindo Edu Lobo e Gilberto Gil, acordo e me deparo com um texto sobre preconceito musical, texto inclusive de uma pessoa que respeito muito, mas me incomodei, talvez por me sentir indiretamente taxada de preconceituosa, uma vez que na mesma noite lancei algumas piadinhas com o alvo em questão. Depois desse VMB polêmico, algumas pessoas se chatearam com a conquista dos jovens do Restart. Mais uma vez deixo claro, não iria me manifestar não tenho nada contra os garotos, tenho contra o sistema ( meio clichê, mas vamos lá). O argumento do texto era: sempre condenam os grandes sucessos da geração mais jovem, que o próprio Roberto Carlos foi criticado por aqueles que não respeitavam e não entediam. Pelo o que eu entendi, o Restart tb é rock e é atitude, assim como Beatles. No texto apenas citava o mérito (se é que isso é mérito) sucesso, e não musicalidade. Me preocupei. Semana passada o assunto era uma outra jovem cantora, a questão é se ela era cantora, artista, compositora ou performer. Me preocupei. Não tiro o mérito dos jovens que querem fazer música, tiro o mérito da mídia que prova ao brasileiro que não preciso de maturidade nem de conteúdo pra fazer arte. O mundo virou uma grande exposição de arte conceitual, conhece? Aquela arte que o "artista" mata a galinha e expõe, e diz que tenho que entender o conceito. Sem estudo, sem pesquisa, sem fundamento. Só arte. triste não? É preciso saber 3 acordes e ter um "ideal" pra se fazer música neste país. Um canal de tv nomeia estes jovens (que poderiam ter futuro como bons músicos, se não pelo sucesso precoce) como melhor banda brasileira, e não vou nem entrar na questão do que é música brasileira. é perigoso, porque a cada geração a qualidade artística cultural dos artistas que colocam a nossa frente é menor ou nula. Não digo por gênero, tem gente boa no sertanejo, no rock no pop, o estilo não determina se a música é boa ou não. As pessoas que fazem, sim. Se isso é preconceito com aqueles que fazem sucesso, então porque um dia Elis Regina alcançou multidões, e Wilson Simonal então? Hoje temos a juventude que elege Restart como melhor banda, Crepúsculo como melhor filme, provavelmente se estes já votassem elegeriam Tiririca como deputado.
A CULTURA NO BRASIL É REFLEXO DA EDUCAÇÃO. A POLÍTICA, TAMBÉM.
Pode ser que esse texto seja interpretado como um desabafo de quem tem dor de cotovelo, pode ser, porque  eu estudo desde meus 6 anos idade, me preparei me dediquei e respeito muito a arte brasileira e assim mesmo mato um gigante todo dia para conseguir um lugar ao sol...pode ser, pode ser que seja um desabafo preconceituoso. Que seja.